Definição da Rota

 

         Peça fundamental para garantir a auto-suficiência na produção nacional de petróleo em 2005, o campo de Marlim Sul é atualmente o foco das atenções da Petrobrás. Descoberto em 1987, com o poço 4-RJS-382, o campo tem reservas provadas de 957 milhões de barris de óleo e 14 bilhões de metros cúbicos de gás.

 

Localizado a 175 quilômetros de Macaé, em lâmina-d’água de 850 metros a 2,4 mil metros, Marlim Sul produziu o primeiro óleo em 1994, através do poço 3-MRL-4-RJS, ligado à plataforma P-26, no campo de Marlim. Na ocasião, o sistema piloto para avaliação do campo bateu o recorde mundial ao ser instalado a 1.027 metros de profundidade.

 

Os resultados da primeira avaliação animaram a continuidade da coleta de dados em áreas mais profundas do campo e, em 1997, o poço MRL-3, a 1709 metros de profundidade, foi ligado ao FPSO 2, estabelecendo novo recorde. Para avaliar o segundo módulo do campo, o mesmo FPSO 2 foi deslocado e interligado ao poço MLS-2, a 1.230 metros, e depois ao RJS-442, a 1,3 mil metros.

 

Com o sucesso do sistema piloto, a Petrobrás deu início ao plano de desenvolvimento do campo, dividido em quatro módulos. O sistema de produção do primeiro módulo é baseado nas plataformas Petrobrás 40, uma unidade de produção, e Petrobrás 38, um FSO, que entraram em operação em dezembro de 2001. O óleo dos poços segue por linhas flexíveis para a P-40, ancorada a 1.080 metros de profundidade.

 

Após o processamento, o óleo é transferido para a P-38, onde fica armazenado até a chegada do navio aliviador. O gás é escoado para o continente por gasodutos de alta pressão. A distância média a ser percorrida entre a Bacia de Campos, onde se situa Marlin Sul, e o terminal de São Sebastião é de 325 milhas náuticas.

 

        

A Petrobrás utiliza um valor médio de 7 dias de operação, considerando um dia de ida, dois dias para carregar o navio, um para voltar, um para descarregar no terminal e um dia de espera. É importante considerar mais um dia para que possíveis eventualidades como um tempo maior de espera ou condições climáticas adversas durante o offloading do FPSO não influenciem de forma negativa na estimativa do tempo.

 

         O terminal de São Sebastião é o mais complexo do sistema Petrobrás, com capacidade de atender a embarcações provenientes do campo Marlim e Albacora. Para que a embarcação realize esta operação dentro do tempo estimado, estimou-se uma velocidade de 15 nós.

 

         Deve-se ressaltar que para ao se analisar toda a vida útil operacional da embarcação, tornou-se necessário reavaliar a autonomia da mesma, levando-se em consideração que a embarcação em questão pode ser solicitada a operar em outras rotas. Dessa forma foi considerada uma autonomia de 30 dias, tempo suficiente para que esta pudesse realizar operações de cabotagem ao longo da costa da América do sul.